Notícias

NovembroAzul2018-600x400

08 Novembro 2018 - 12:00

Novembro Azul alerta sobre câncer de próstata e importância de se cuidar

Durante todo o mês, eventos advertem para a necessidade de prevenção dessa e de outras doenças. Afinal, para ser homem é preciso estar vivo

“Homem não chora. Homem tem que ser forte. Homem não reclama de doença. Homem não morre”. As frases, que ilustram a campanha da Fundação do Câncer para o Novembro Azul, são tabus que precisam ser derrubados. Em todo o mundo, o mês é dedicado a alertar para a prevenção ao câncer de próstata e outras doenças. A ideia é tornar os homens mais conscientes e acabar com preconceitos que podem colocar em risco suas vidas.

“Desde a primeira edição, nós e as Apcefs nos engajamos no Novembro Azul, pois entendemos a importância do diagnóstico precoce e do combate ao preconceito. Afinal, o câncer de próstata é o segundo mais frequente no sexo masculino, ficando atrás apenas dos tumores de pele. Ou seja, é preciso estar atento. Afinal, como diz a campanha da Fundação do Câncer, para ser homem é preciso estar vivo”, diz o presidente da Fenae, Jair Pedro Ferreira.

Em todo o país, estão previstos circuitos de saúde, palestras em empresas para conscientizar os funcionários, ações em estradas, estádios de futebol e locais públicos de grande circulação, além da iluminação de vários monumentos públicos de azul. “Que bom que esse engajamento na campanha tem crescido a cada ano. Se as mulheres conseguem cuidar tão bem da saúde, nós homens também podemos”, acrescenta Jair Ferreira.

Quase 70 mil casos por ano

A estimativa do Instituto Nacional do Câncer (Inca) é de que, por ano, 69 mil novos casos de câncer de próstata sejam diagnosticados, um caso a cada 7,6 minutos. A doença pode demorar a se manifestar, exigindo prevenção constante para não ser descoberta em estágio avançado e potencialmente fatal. Os exames consistem na dosagem sérica do PSA e no exame de toque retal, que são complementares, pois cerca de 20% dos casos não são detectados pelo PSA.

A Sociedade Brasileira de Urologia recomenda que todos os homens com 45 anos de idade ou mais façam o exame anualmente. Os sintomas mais comuns do tumor são a dificuldade de urinar, frequência urinária alterada ou diminuição da força do jato da urina, dentre outros. Quem tem histórico familiar deve avisar o médico, que indicará os exames necessários.

 

Veja também
Nenhum registro foi encontrado.

selecione o melhor resultado